Notícias

5 dicas para ser um bom líder

Separamos algumas dicas para melhorar sua liderança. Confira abaixo:

1 – Dê exemplo
Um bom líder, em primeiro lugar, é um exemplo para os subordinados. O gestor só pode cobrar com veemência aquilo que ele mesmo faz.

2 – Tenha equilíbrio emocional
Um líder de qualidade precisa ser suficientemente centrado, a ponto de lidar com calma e jogo de cintura com situações complicadas e conflituosas.

3 – Seja objetivo
Habilidade de comunicação, ser direto em colocações e feedbacks, deixar claro quais são as expectativas para cada projeto ou tarefa são capacidades inerentes a um líder de qualidade.

4 – Seja organizado
Um líder que não sabe do que precisa ou que nunca tem um plano para situações de risco simplesmente não está cumprindo o próprio papel.

5 – Tenha comprometimento
Um líder precisa estar por dentro de todas as atividades realizadas por sua equipe. Ele precisa oferecer suporte, ter sempre um “plano B”, estar sempre presente em reuniões e ajudar na tomada de decisões.

rocharrl5 dicas para ser um bom líder
Leia Mais

Jovens brasileiros investem mais em negócio próprio

Pesquisa mostra que empreendedores entre 18 e 34 anos já somam 15,7 milhões.

Ter a perspectiva de uma carreira profissional no serviço público ou em uma grande empresa já não faz parte do sonho de muitos jovens brasileiros. Cada vez mais eles empreendem mais cedo. Em alguns casos, há quem tenha escolhido deixar um bom emprego para começar um negócio próprio. É o caso dos amigos Thadeu Schettini e Rodrigo Ponte, idealizadores do aplicativo Beleza Certa. Eles abriram mão do emprego em uma empresa de consultoria para investir na plataforma digital de serviços de gestão completa para o promissor setor de beleza brasileiro, considerado o quarto maior mercado do mundo.

Na época, os jovens tinham menos de 30 anos e resolveram apostar, mesmo diante de um cenário de recessão econômica. Thadeu, que é engenheiro de produção, conta como iniciou o negócio. “Estava cortando o cabelo. E, por acaso, o cabeleireiro estava em busca de uma plataforma digital simples para gerenciar o salão. Vi uma oportunidade e chamei o Rodrigo para desenvolvermos a ideia”, diz. Em três meses, a dupla já estava testando o app. Atualmente, o serviço está presente em todos os estados do país.

A realidade dos amigos reflete nas estatísticas divulgadas recentemente pelo Global Entrepreneurship Monitor (GEM). Segundo os dados, o número de empreendedores entre 18 e 34 anos que estão envolvidos na criação do próprio negócio cresceu no ano passado. Já são 15,7 milhões de jovens que estão levantando informações para ter um negócio ou que já têm empresa com até três anos e meio de atividade. Um aumento de 7% comparado ao ano anterior. O estudo também mostrou que um em cada três adultos brasileiros entre 18 e 64 anos é empreendedor ou está envolvido na abertura do próprio negócio. Aumentou de 57% para 59% o percentual de brasileiros que empreendem por oportunidade.

“Sempre sonhei em empreender, mesmo com os contratempos que envolvem ter o próprio negócio no Brasil. Com o conhecimento que adquirimos ao longo desse tempo, queremos ajudar cada vez mais nossos clientes a desenvolverem seus negócios de forma profissional com preço acessível”, explicou o empresário Rodrigo Ponte.

MOTIVAÇÃO

Ainda segundo o relatório GEM, considerando as diferentes faixas etárias, os jovens de 25 a 34 anos foram os mais ativos na criação de novos negócios em 2017. Isso significa que 30,5% dos brasileiros nessa faixa etária estão tentando criar um negócio ou já são proprietários e administram um empreendimento em estágio inicial, com até três anos e meio de criação. Em seguida, nesse ranking aparecem aqueles ainda mais jovens, de 18 a 24 anos, com 20,3% deles envolvidos na criação de novos negócios.

Por RENAN SCHUINDT

https://odia.ig.com.br/economia/empregos-e-negocios/2018/07/5554466-jovens-brasileiros-investem-mais-em-negocio-proprio.html

rocharrlJovens brasileiros investem mais em negócio próprio
Leia Mais

4 Vantagens do Coworking

Já parou para pensar?

Quem está num ambiente compartilhado sabe que só tem vantagens.

1°) Redução de custos fixos (aluguel, água, luz, telefone, IPTU, funcionários, encargos trabalhistas, etc.) em até 80% comparado a um escritório comum.
2°) O investimento inicial é mínimo, pois os ambientes já estão prontos para uso, mobiliados e equipados.
3°) Foque apenas nos seus objetivos e dedique-se em tempo integral ao seu negócio! O resto fica por nossa conta.
4°) Conhecer pessoas com perfil direcionado para o crescimento, faz surgir parcerias e aumenta as chances de expandir os seus negócios.

rocharrl4 Vantagens do Coworking
Leia Mais

Inauguração de nossa mais nova unidade

O serviço de escritórios compartilhados e coworking é uma atividade que está ganhando cada vez mais espaço e visibilidade no mercado. Em função disso, no último dia 14 foi inaugurada a nossa nova unidade em parceria com João Humberto Martorelli, a Unidade Excelsior. O coquetel de inauguração contou com a presença de diversos empresários e jornalistas Pernambucanos.

Esta é a quarta unidade a ser lançada pelo Virtua e faz parte de um processo de expansão com investimento de mais de R$ 2 milhões. No projeto estão incluídas novas unidades em Natal, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

Estrutura de Alto Padrão traz novidades

A nova unidade, além de possuir uma estrutura de alto padrão, está localizada em um endereço privilegiado, no empresarial Excelsior, em Boa Viagem. A estrutura, que dispõe de 02 andares do empresarial, conta com 20 salas, sendo 02 de reunião e 01 auditório, além de 03 espaços de coworking para locação. Sendo a primeira unidade a dispor desses serviços.

Confira algumas fotos da inauguração.

       

Conheça nossa estrutura.

UNIDADE EXCELSIOR
Rua Ernesto de Paula Santos, nº 187. 19º andar. Empresarial Excelsior, Boa Viagem, Recife | PE

 

 

virtuaofficeInauguração de nossa mais nova unidade
Leia Mais

Conheça as novas regras para enquadramento no MEI em 2018

Os microempreendedores individuais (MEI) devem ficar atentos às novas regras de enquadramento que entraram em vigor agora em 2018. Devido às alterações nas regras do Simples, houve mudanças na alíquota máxima da categoria e nas funções permitidas nesse tipo de regime fiscal.

Desde o início do ano, o teto máximo de faturamento para permanência na classe passou de R$ 60.000 para R$ 81.000, favorecendo um número ainda maior de empreendedores. A medida também beneficiou quem, no ano anterior, ultrapassou o teto antigo em até 20%. Neste caso, estes empresários, para regularizar sua situação, devem pagar uma taxa variável à Receita Federal.

Com as alterações surgiram 12 novas atividades enquadradas:

  • Apicultor independente
  • Cerqueiro independente
  • Locador de bicicletas independente
  • Locador de material e equipamento esportivo independente
  • Locador de motocicleta, sem condutor, independente
  • Locador de video games independente
  • Viverista independente
  • Prestador de serviços de colheita, sob contrato de empreitada, independente
  • Prestador de serviços de poda, sob contrato de empreitada, independente
  • Prestador de serviços de preparação de terrenos, sob contrato de empreitada, independente
  • Prestador de serviços de roçagem, destocamento, lavração, gradagem e sulcamento, sob contrato de empreitada, independente
  • Prestador de serviços de semeadura, sob contrato de empreitada, independente

Por outro lado, algumas ocupações não poderão mais ser enquadradas como MEI. São elas: Arquivistas de documento; Contador; Técnico Contábil e Personal trainer. O MEI que atua nessas atividades terá que solicitar seu desenquadramento no Portal do Simples Nacional.

Esse é o modelo de empresa brasileira, mais barato e mais fácil de configurar pois possui mais isenções fiscais e menos regras funcionais que os outros modelos de empresa. Apesar das inúmeras vantagens de ser MEI, antes de aderir é necessário saber que o microempreendedor pode possuir somente um empregado registrado e não ter participação em nenhuma outra empresa, seja como sócio, seja como titular.

virtuaofficeConheça as novas regras para enquadramento no MEI em 2018
Leia Mais

Como fazer o planejamento do seu negócio.

O planejamento estratégico ajuda o empresário a tomar decisões no comando do negócio com base nas oportunidades oferecidas pelo ambiente externo em conjunto com as condições internas, favoráveis ou não, da empresa. Essa ferramenta leva o empresário a responder três questões principais:

  • Onde estamos?
  • Para onde queremos ir?
  • Como chegar lá?

Para chegar a essas respostas, é preciso seguir as seguintes etapas:

Análise do cenário

Análise do ambiente interno: avaliação e constatação de pontos fortes a serem capitalizados pela empresa e de limitações a serem corrigidas, tendo como foco aspectos técnicos, financeiros, de infraestrutura física, de recursos humanos, entre outros.

Análise do ambiente externo: busca do entendimento das ameaças e oportunidades que o macroambiente propicia. Trata-se de reconhecer e considerar a influência de fatores econômicos, sociais, políticos, de mercado e outros no desenvolvimento da empresa.

Definição de objetivos

É o momento em que a empresa examina seus dados históricos e projeta suas metas futuras. É a resposta ao questionamento “para onde queremos ir”. De maneira geral, relaciona-se com aspectos ligados a faturamento, rentabilidade, quantidade de filiais, posicionamento no mercado.

Definição de estratégias

Como a empresa vai atingir os objetivos traçados? Para cada estratégia estabelecida, deverá haver, no mínimo, um objetivo ao qual ela servirá.

Como pode ser notado, o planejamento se desenvolve de maneira racional, de tal forma que as etapas venham a ser cumpridas organizadamente, permitindo que revisões periódicas sejam realizadas sempre que o cenário assim exigir.
Fonte: Por Jornal de Negócios do Sebrae-SP.

virtuaofficeComo fazer o planejamento do seu negócio.
Leia Mais